Carregando...
JusBrasil - Notícias
03 de agosto de 2015
Finalizar

Denúncia de lavagem cerebral em seita será tratada em comissão

Publicado por Assembléia Legislativa do Estado de Minas Gerais (extraído pelo JusBrasil) - 5 anos atrás

LEIAM 0 NÃO LEIAM

A denúncia de que uma seita estaria retirando crianças da convivência familiar, por meio de doutrinação, será discutida pela Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais. A audiência pública, requerida pelo presidente da comissão, deputado Durval Ângelo (PT), será nesta quarta-feira (9/9/09), às 9 horas, no Auditório. O parlamentar foi procurado por um casal que, com seus filhos, pertenceu à Igreja Ministério Verbo Vivo, sediada em São Joaquim de Bicas (Região Metropolitana de Belo Horizonte). O casal relatou que abandonou a seita, mas seus filhos - um rapaz e uma moça - continuaram na igreja e passaram a renegar os pais.

Um dossiê encaminhado ao deputado relata que a Igreja Ministério Verbo Vivo tem em sua sede uma instituição de ensino, a Escola Verbo Vivo, na qual faz uma "lavagem cerebral" nos alunos. A igreja é liderada, em Minas, pelo casal John David Martin (cidadão americano) e Marialva Pinheiro Martin e segue a doutrina de uma pastora americana, Jane Whaley, líder da Word of Faith Fellowship. De acordo com o dossiê, a igreja tem também uma filial na cidade de São Paulo.

Dossiê - Ainda segundo o dossiê, cerca de 130 crianças, adolescentes e jovens estudam na escola Verbo Vivo, sendo que muitos teriam deixado suas famílias para morar na igreja. Lá, eles seriam submetidos a cultos diários e o ensino seria totalmente deficitário. Os alunos não têm livros de português, não podem ler obras literárias, não fazem pesquisa, nem usam a internet, pois segundo os dirigentes, essas seriam formas de contato com o pecado. Além disso, os estudantes também não podem usar o celular, não têm intervalo entre as aulas, fazendo lanche na própria sala, sob a supervisão de um professor, e não podem conversar entre si. A repressão sexual é total e os pais são impedidos de ver os filhos, principalmente se os primeiros não são membros da igreja.

O documento dá conta também de que os alunos são severamente reprimidos e obrigados a contar seus "pensamentos impuros", sofrendo humilhações diversas na frente de todos. Os que "não dão o coração" são submetidos a um "tratamento" ou "disciplina" e obrigados a ficar por dias e até semanas sozinhos, isolados em uma sala, impedidos de todas as atividades e podendo somente assistir aos cultos pela televisão. Outra denúncia é de que jovens da seita são levados irregularmente para os Estados Unidos, onde trabalhariam para fiéis da matriz americana ou na própria igreja, por até 15 horas, sem receberem salários.

Convidados - Várias testemunhas participarão da audiência pública da comissão, entre elas, pais de alunos da Verbo Vivo que deixaram suas famílias, ex-alunos e ex-membros da igreja. Foram também convidados: o coordenador do Conselho Tutelar de Betim, Alessandro Augusto Leite; a presidente do Conselho Tutelar de São Joaquim de Bicas, Maíze Cristine Gouveia de Andrade; o prefeito de São Joaquim de Bicas, Antônio Carlos Resende; o promotor Flávio Silva Júnior, da comarca de Ibirité; a promotora de Justiça e coordenadora do Centro de Apoio Operacional (CAÓ) da Infância e da Juventude, Andrea Mismotto Carelli; o superintendente regional da Polícia Federal em Minas Gerais, Jerry Antunes de Oliveira; o delegado de Polícia Civil Geraldo de Amaral Toledo Neto; o promotor de Justiça da Comarca de Igarapé, Flávio Silva Júnior; além das testemunhas Jorge Luiz Coelho Linhares e Eduardo Andrade Gonzaga Júnior.

Conforme informações do gabinete de Durval Ângelo, vários órgãos representados já teriam recebido denúncias da ação da Igreja Ministério do Verbo Vivo.

Responsável pela informação: Assessoria de Comunicação - www.almg.gov.br

Rua Rodrigues Caldas,30 :: Bairro Santo Agostinho :: CEP 30190 921 :: Belo Horizonte :: MG :: Brasil :: Telefone (31) 2108 7715

Amplie seu estudo

2 Comentários

Faça um comentário construtivo abaixo e ganhe votos da comunidade!

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "gritar" ;)
1 voto

Ola descobri este assunto hoje. Quando aconteceu estava fora do país. Gostaria de saber o que no final aconteceu e qual foi o desfecho de toda esta investigação.

7 meses atrás Responder Reportar
Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "gritar" ;) Cancelar

Nossa, fiquei surpresa com a semelhança com uma seita que há aqui próximo. No bairro ao lado do meu acontece algo bem parecido, porém não com uma escola, como é mencionado acima, mas tem relação a um "Encontro com Deus". Conheço pessoas que saíram de lá e hoje sentem ou remorso ou medo do ambiente, ela faz parte de uma doutrina chamada G12, que por muitos da mesma religião é questionável. Não entendo o porquê de não haver uma denuncia da tal "igreja", mas que lá tem muita coisa estranha, ah tem!

10 meses atrás Responder Reportar
Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "gritar" ;) Cancelar

ou

×

Fale agora com um Advogado

Oi, está procurando um advogado ou correspondente jurídico? Podemos te conectar com Advogados em qualquer cidade do Brasil.

Escolha uma cidade da lista
Disponível em: http://al-mg.jusbrasil.com.br/noticias/1856650/denuncia-de-lavagem-cerebral-em-seita-sera-tratada-em-comissao